Cooperativas realizam Dia C com ações voluntárias

Importância do setor para Minas Gerais é lembrada neste 2 de julho, quando é comemorado o Dia de Cooperar

 

Responsáveis por uma participação de 11,6% no Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais e movimentando R$ 93,5 bilhões em 2021, o cooperativismo é fundamental para a economia do Estado. Entre as cooperativas, a maior parte dos setores seguiu registrando resultados positivos mesmo durante a pandemia de Covid-19 e frente à crise por ela gerada.

Esta união dos cooperados é importante para o fortalecimento dos ramos econômicos e para a superação de crises como as vivenciadas atualmente. Além da importância econômica, as cooperativas têm forte influência no desenvolvimento social, gerando empregos, renda e oportunidades. Pela relevância, todo ano, no primeiro sábado de julho é comemorado o Dia de Cooperar (Dia C).

O Dia C, que este ano será no dia 2 de julho, foi criado através do projeto inovador, realizado pelo Sistema Ocemg – formado pela junção do Sindicato e da Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg). O objetivo do Dia C é mostrar para a sociedade o papel importante das cooperativas e desenvolver ações de responsabilidade social, colocando em prática os valores e princípios cooperativistas, por meio de ações voluntárias.

De acordo com o presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato, o cooperativismo é importante para o desenvolvimento econômico da população, dos municípios e do Estado. Pelo trabalho conjunto, as cooperativas conseguem manter o bom desempenho mesmo em períodos de crise, mantendo a geração de negócios, renda e empregos,

“As cooperativas funcionam bem independentemente de uma situação difícil, como a vivida na pandemia. Tivemos praticamente crescimento em todos os ramos, como no agronegócio, crédito e no próprio setor de saúde, que enfrentou muitos percalços pelas internações, medicamentos e insumos demandados durante a pandemia, mesmo assim, se saíram muito bem”, explicou.

Pelo fortalecimento do cooperativismo, ao longo da crise o setor continuou gerando empregos, o que é importante para a movimentação econômica do Estado.

“O contingente de trabalhadores no sistema cooperativista aumentou. Em 2021, foram mais de 50 mil pessoas trabalhando em cooperativas, um crescimento de 7,5% frente a 2020. Enquanto o mercado está dispensando os trabalhadores, estamos admitindo”.

A movimentação econômica do setor também é relevante. Em 2021, foram R$ 93,5 bilhões movimentados, valor que  respondeu por 11,6% do Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais.

Ainda segundo Scucato, dentre os ramos, o de crédito tem papel relevante. As cooperativas deste ramo estão presentes em 70% dos municípios mineiros e são fundamentais para levar crédito onde as entidades financeiras não chegam.

“As cooperativas de crédito estão em 607 municípios mineiros. Com isso, o crédito chega a quem precisa. Em mais de 60 municípios, as pessoas só são atendidas pelas cooperativas, já que não possuem agências bancárias. As cooperativas vão aonde os bancos não estão”.

Em períodos emergenciais, Scucato explica que o número de cooperados aumenta. “Diante das crises, as pessoas correm para as cooperativas. Na crise de 2008 e 2009, quando os bancos estavam quebrando, as pessoas recorreram às cooperativas para ter acesso ao crédito. Isso também aconteceu agora”.

 

Fonte: https://diariodocomercio.com.br/economia/cooperativas-realizam-dia-c-com-acoes-voluntarias/

Deixe uma resposta