Cooperativismo: entenda o conceito e suas vantagens

 

O cooperativismo é um movimento social e econômico, realizado entre indivíduos, que se baseia em uma visão colaborativa. Nas cooperativas, todos os associados participam das atividades e decisões, de forma a atingir o bem comum e satisfazer necessidades coletivas. 

Se você chegou até aqui, provavelmente seja porque ouviu falar sobre cooperativismo e está pensando em criar ou entrar para uma cooperativa. Nesse post vamos falar sobre o conceito, sua história e vantagens para quem se associa ou conta com os serviços oferecidos.

Para começar, o cooperativismo tem como premissa a colaboração entre indivíduos de um mesmo grupo econômico e social, os quais se unem para evoluir e solucionar problemas.

Nas cooperativas, todos os associados participam das atividades e decisões, com o objetivo de atingir o bem comum e satisfazer necessidades coletivas.

Surgimento do cooperativismo

Apesar de a ideia de cooperativismo ter surgido na Babilônia, quando era prática arrendar terras de uso coletivo, o conceito, como é definido hoje, foi criado na Inglaterra, durante a Revolução Industrial.

Nesse período, o serviço artesanal de muitos era substituído por máquinas e os operários começaram a ser explorados e terem condições de trabalho degradantes. Diante disso, alguns deles começaram a se revoltar contra o sistema e 28 tecelões formaram a primeira cooperativa do mundo.

Esse grupo se uniu com o objetivo de montar o próprio armazém. Eles compravam os produtos em maiores quantidades e conseguiam reduzir custos. Todas as despesas e lucros eram divididos igualmente. Depois de 12 anos, a cooperativa de tecelões ainda existia, e inclusive chegou a ter mais de 3.000 associados.

No Brasil, o cooperativismo iniciou em 1889, no setor agropecuário. A primeira cooperativa brasileira se chamava Cooperativa Econômica dos Funcionários Públicos de Ouro Preto, localizada em Minas Gerais. Em 1902, o padre suíço, Theodor Amstad, fundou no Rio Grande do Sul a Sicredi Pioneira, primeira cooperativa de crédito do Brasil, a qual existe até hoje.

A CTES em particular foi constituída pela união de trabalhadores a fim de obter melhores oportunidades e benefícios, Cooperativa de Trabalho Especializada em Serviço foi fundada em 2015 na cidade de Vitória da Conquista/BA

Sendo uma sociedade civil, sem fins lucrativos, a CTES é composta por profissionais autônomos da área de serviços gerais e se respalda na ética cooperativista, em respeitos aos direitos e deveres dos cooperados, conforme dispõem as Leis 5.764/71 e 12/690/12.

Com o passar dos anos foram sendo criadas entidades representativas do cooperativismo, como a Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), e a Confederação Nacional das Cooperativas (CNCoop).

 

Panorama do cooperativismo no mundo

Veja agora alguns dados interessantes sobre o cooperativismo em todo o mundo, de acordo com a OCB, a Sescoop e outras entidades representativas:

  • atualmente mais de um bilhão de pessoas estão ligadas ao cooperativismo mundial;
  • juntas, as cooperativas geram mais de 100 milhões de empregos diretos;
  • as 300 maiores cooperativas do mundo administram aproximadamente U$S2,5 trilhões em ativos;
  • os EUA são a nação com o maior número de associados. Hoje há mais de 256 milhões de americanos participando do cooperativismo;
  • entre as 10 maiores empresas do setor lácteo do mundo, 6 são cooperativas.

Cooperativismo no Brasil na atualidade

De acordo com a Agenda Institucional do Cooperativismo de 2017, o Brasil possui 6.6 mil cooperativas. Essas entidades contam com mais de 13,2 milhões de associados e geram cerca de 376 mil empregos formais.

O País possui o maior sistema de cooperativas de saúde do mundo, sendo considerado referência mundial. Das 300 maiores entidades existentes, 7 delas são brasileiras: Sicoob, Aurora, Coamo, Coopersucar, Cooxubé, Unimed Rio e C. Vale.

Outro dado interessante sobre o cooperativismo no Brasil é que, de acordo com informações do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, somente em 2016 as cooperativas exportaram US$ 5,137  bilhões, com um superávit na balança comercial de US$ 4.6 bilhões.

Vantagens do cooperativismo

Como você pôde ver, o cooperativismo é responsável por uma série de impactos positivos, tanto em relação ao aspecto social quanto econômico no mundo todo.

Enquanto uma empresa visa lucro, tem um número limitado de sócios e há uma hierarquia definida, na cooperativa não há limite de associados e as decisões são tomadas em assembleia com a participação dos cooperados de forma igualitária. Ou seja, todos participam e todos ganham.

Alguns exemplos dessa prática são as cooperativas de trabalho, como a CTES onde indivíduos com interesses em comum se unem para ampliar seu acesso ao mercado e terem vantagens em relação a crédito e compra de insumos. Além disso, os associados obtém benefícios no mercado de trabalho, já que podem prestar serviços para empresas.

Deixe uma resposta