10 Maneiras de alcançar o desenvolvimento profissional

Você sabe qual é o maior erro que um profissional, independentemente de sua área, pode cometer? Sem dúvidas, é ficar estagnado, parar de se desenvolver. O desenvolvimento profissional deve ser um objetivo constante, uma “meta aberta”. Na busca por mais conhecimento, mais experiência, mais competências, não existe um ponto final.

Se você não seguir essa filosofia, seu lugar no mercado de trabalho pode ser ocupado rapidamente por vários outros profissionais que deram valor ao próprio preparo. Sim, em vez de se preocupar com robôs tomando seu emprego, os verdadeiros concorrentes são os life-long learners, termo em inglês para designar alguém que nunca para de aprender.

É claro que isso levanta uma questão ainda mais importante: como alcançar o desenvolvimento profissional? Bom, existem várias alternativas possíveis. Nesse artigo, você descobre 10 maneiras. Confira!

1. Fazer mais conexões

Você provavelmente pensa que o valor do networking é a possibilidade de conhecer potenciais clientes ou pessoas que podem indicá-lo para vagas de emprego dos sonhos. Porém, acredite, esse está longe de ser o principal motivo para fazer mais conexões.

O mais importante é que cada contato é um profissional com formação, experiências, visão e perfil diferentes dos seus. Então, uma simples conversa com um novo contato pode ser uma verdadeira oportunidade de aprendizado, muito enriquecedora.

Por isso, a dica é que você tente marcar uma conversa – uma conversa de verdade, de pelo menos uns quinze minutos, para discutir temas relevantes – com cada novo contato. Pode ser um encontro para um café ou um call pela internet; a tecnologia ajuda a tornar essa tarefa mais conveniente.

O importante é que você não trate seu networking como uma coleção de figurinhas, em que você simplesmente coloca mais e mais nomes, mas nunca faz nada com eles. Em vez disso, aproveite ao máximo a colaboração que os seus contatos podem oferecer para o seu desenvolvimento profissional.

2. Procurar um mentor

Um mentor é mais do que um contato. Ele é um profissional experiente e reconhecido na área em que você deseja construir sua carreira. Ou seja, uma pessoa que pode ser um modelo e guiá-lo para atingir seus objetivos.

Escolher o mentor certo é uma das decisões mais importantes que você pode tomar, e um pouco de ousadia pode vir a calhar. Você já imaginou que pode conseguir como mentor aquele grande diretor de uma empresa multinacional, ou aquele empreendedor que fundou uma startup unicórnio?

Sim, é possível. Para isso, você pode usar conexões em comum para criar uma ponte entre vocês, ou até participar de um evento em que esse profissional esteja presente e abordá-lo diretamente. A boa notícia é que a maioria das pessoas fica muito feliz em ser o mentor de um profissional que demonstra potencial e comprometimento com a própria carreira.

3. Participar de eventos relevantes

Já que mencionamos eventos no item anterior, essa é certamente outra maneira de alcançar o desenvolvimento profissional. Afinal, eles não apenas são o lugar certo para encontrar outros profissionais como, também, são ocasiões ideais para aprender e se atualizar em assuntos que vão ajudá-lo a se destacar no trabalho.

Isso tem tudo a ver com aquele conceito de life-long learner que vimos no começo deste artigo. Se você já tem um emprego, um bom salário e uma carreira, isso não significa que você deve parar de aprender. Aliás, continuar aprendendo é um dos requisitos para manter tudo que você conquistou, pois as empresas querem colaboradores que acompanhem as mudanças no mundo.

Então, se você sabe de alguma palestra, workshop, congresso ou outro evento que pode ser relevante para o seu desenvolvimento profissional, deixe a preguiça de lado; inscreva-se e compareça!

4. Ler muito

Apesar de todo o avanço tecnológico, a leitura ainda é um dos meios mais assertivos para o aprendizado, de maneira geral, e para o desenvolvimento profissional. De fato, se existe um hábito que está presente na rotina de todo profissional bem-sucedido é a leitura. E você, consegue lembrar do último livro que leu?

Entre os livros mais recomendados por grandes empreendedores, estão:

  • Por que algumas pessoas fazem sucesso e outras não, de Carol Dweck;
  • O dilema da inovação: quando as novas tecnologias levam empresas ao fracasso, de Clayton Christensen;
  • Como conquistar amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie;
  • Trabalhe 4 horas por semana, de Timothy Ferriss.

Outra boa dica é ler as biografias e autobiografias de profissionais que você admira por sua carreira. Essa é uma forma de entender o que eles fizeram para chegar aonde chegaram, qual era sua ética de trabalho, seus valores e até mesmo hábitos.

Já imaginou, por exemplo, poder entender como Steve Jobs pensava sobre o trabalho? Infelizmente, hoje, você não poderia conversar diretamente com ele, porém você pode descobrir muito sobre ele com a biografia publicada por Walter Isaacson, um dos maiores autores do gênero na atualidade.

5. Desenvolver soft skills

Quando falamos em desenvolvimento profissional, é comum pensar apenas nas hard skills, aquelas competências ligadas à área de atuação específica do profissional. Por exemplo, um advogado precisa conhecer as leis e um engenheiro mecânico precisa saber mecânica.

Porém, existe um outro lado que deve ser desenvolvido. São as soft skills, as competências gerais, especialmente aquelas de caráter interpessoal, como comunicação, negociação e liderança. Sem elas é pouco provável que você consiga avançar além de certo ponto na carreira, pois, quanto mais estratégica a posição que o colaborador ocupa, mais ele precisa de soft skills.

Tudo começa com uma autoavaliação. Você precisa identificar quais são, de verdade, seus pontos fortes e fracos. Talvez você seja alguém com muita empatia, mas pouca habilidade para se expressar; talvez você seja um líder nato, mas muito individualista.

Depois disso, você pode selecionar a melhor estratégia para desenvolver as soft skills que precisam de mais atenção. Em alguns casos, você pode precisar de um curso para desenvolver as habilidades desejadas. Em outros, apenas um pouco mais de atenção e reflexão sobre suas atitudes é o suficiente.

6. Fazer uma pós-graduação

Nenhuma lista sobre desenvolvimento profissional poderia estar completa sem comentar sobre os cursos de pós-graduação. Nessa categoria, incluímos cursos de mestrado e doutorado, especialização e, claro, MBA.

Depois da graduação, você e todos os seus colegas formados chegam ao mercado de trabalho como profissionais generalistas com o mesmo nível de preparo; depois, a pós-graduação determina para qual área específica você vai caminhar e permite alcançar um nível mais aprofundado nessa área.

Esse é um dos motivos pelos quais você deve tomar cuidado na escolha da pós. Dentro de uma única área, como Administração, você pode encontrar dezenas – senão centenas – de áreas específicas para uma pós-graduação. Portanto, essa escolha está profundamente relacionada com a direção que você pretende dar à sua carreira.

É claro que esse não é o único motivo pelo qual a escolha da pós deve ser uma decisão bem pensada. Esse não é um curso curto, podendo durar um ano ou mais. O investimento financeiro também é considerável. Para assumir um compromisso desse tipo, você deve ter certeza de que fez uma escolha compatível com sua visão de longo prazo para a carreira.

Além da escolha do curso em si, a escolha da instituição em que você vai cursar a pós-graduação é outro ponto crucial, afinal, você está se comprometendo a fazer um significativo investimento de tempo e recursos financeiros.

Para obter o máximo retorno sobre esse investimento, a instituição deve contar com excelente reputação, estrutura, corpo docente e grade curricular. Pontos extras se ela oferece benefícios adicionais aos alunos, como parcerias internacionais para que os participantes tenham uma experiência no exterior.

7. Buscar um perfil T-Shaped

T-Shaped Professional, ou profissional em formato T, é um termo criado para designar aquele profissional que entende muito de um determinado assunto, no qual é especialista, mas também tem um conhecimento genérico de muitos outros assuntos. Esse perfil é cada vez mais valorizado, especialmente porque o profissional T-Shaped é essencial para promover inovação nas organizações.

O profissional T-Shaped opõe-se ao I-Shaped, que sabe tudo sobre a sua área de especialidade e nada mais. Esse perfil tem cada vez menos espaço.

E como você pode buscar um perfil T-Shaped? O passo essencial é vencer aquele velho paradigma de que você só precisa saber do seu setor, da sua função e sua especialidade. Deixe a curiosidade vencer. Aprenda sobre coisas que parecem não afetar diretamente o seu trabalho – mais tarde, você vai se surpreender com as relações que realmente existem.

Um bom ponto de partida é informar-se sobre tecnologia. Não importa que você seja um contador, um gerente de produção ou um representante comercial, é necessário ter um entendimento, ainda que básico, das tecnologias que estão redefinindo o mercado.

8. Contratar um coach

coaching tornou-se uma febre e você provavelmente já ouviu falar sobre essa prática. O coach é um indivíduo que recebe treinamento para ajudar outras pessoas a superar obstáculos e atingir seus objetivos. Para isso, ele usa técnicas e ferramentas específicas. Outra característica muito importante do coaching é ser um processo individualizado e personalizado.

Parece excelente, não é? Porém, você deve ter certeza de estar contratando um coach bem preparado. Além disso, o coaching não é a alternativa mais acessível; com um profissional reconhecido, uma única sessão pode custar milhares de reais.

Esse é um método mais indicado para o desenvolvimento profissional de quem já tem uma carreira consolidada e bem sucedida, mas sente que parou de crescer. E acredite: quanto mais no topo você está, mais difícil é crescer. Por isso, profissionais seniores, que já ocupam importantes cargos de gestão em grandes empresas frequentemente optam pelo coaching para ajudá-los a dar saltos ainda maiores na carreira.

9. Dar uma pausa

Não, você não leu errado. Em alguns casos, o que você precisa para alcançar o desenvolvimento profissional é, simplesmente, de uma pausa.

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo, mais exigente. Os resultados nem sempre vêm da maneira como esperamos. Tudo isso gera muita ansiedade e frustração, o que pode levar ao desenvolvimento de burnout, um distúrbio psicológico ligado ao esgotamento. Em termos simples, é como “dar murro em ponta de faca”: em vez de crescer, você começa a se sentir desmotivado e apresentar resultados piores no trabalho.

Por isso, em alguns casos, dar uma pausa é necessário. Na verdade, existe até um termo para isso: o “ano sabático”, um ano em que você se afasta das suas atividades normais e se dedica apenas aos projetos que o motivam, como abrir uma empresa ou fazer uma pós-graduação.

É claro que nem todos podem se dar ao luxo de tirar um ano sabático. E nem é preciso. Se você puder tirar férias, ou alguns dias de descanso, já é suficiente. O importante é que você não subestime o burnout, pois ele é um problema silencioso.

Outro ponto é que não basta relaxar por alguns dias e voltar para a mesma rotina, pois o problema poderá voltar junto. Então, avalie porque você está sofrendo de burnout e procure maneiras de acabar com ele pela raiz – por exemplo, diminuindo seu ritmo de trabalho ou abrindo mão de alguns projetos.

Essa dica pode parecer estranha já que estamos falando de desenvolvimento profissional, no entanto, não se esqueça de que crescimento, mesmo que lento, ainda é crescimento. Colocar sua saúde mental em risco para tentar alcançar seus objetivos no menor tempo possível não é a forma mais inteligente de construir uma carreira sólida.

10. Ter objetivos claros

A última dica para alcançar o desenvolvimento profissional, mas não menos importante, é ter objetivos claros. Sabe aquela pergunta típica de entrevista: onde você espera estar em 10 anos? Pois então, você precisa encontrar uma resposta para ela imediatamente.

Um profissional sem objetivos claros é como um pedreiro construindo sua própria casa sem um projeto. A casa vai ficar pronta, mas será que ele vai gostar de morar nela? Da mesma forma, se você apenas levar sua carreira confiando no acaso, será que daqui a 10 anos vai ficar satisfeito com o que construiu?

A maioria das pessoas entende a necessidade de ter objetivos claros, mas é na hora de definir esses objetivos que elas se perdem. Então, em vez de começar pensando em longo prazo, comece com objetivos mais próximos. Por exemplo, qual é seu objetivo para o final do ano que vem?

Pensar em termos de opções também ajuda a tornar seus objetivos mais claros. O que você prefere: mudar de emprego ou ser promovido no seu emprego atual? Trocar de especialidade ou se aprofundar ainda mais na sua especialidade atual? Conseguir um emprego com carteira assinada ou abrir um negócio?

Não se esqueça de que objetivos podem mudar com o tempo. Portanto, não existe motivo para ansiedade!

Nesse artigo, você viu 10 maneiras de alcançar o desenvolvimento profissional, mas falar sobre o assunto não é suficiente. Você precisa transformar as dicas que viu aqui em ações.

 

 

 

 

 

 

 

fonte:https://labfinprovarfia.com.br/

Deixe uma resposta