Empresas de serviços: Entenda o setor e as áreas que mais crescem

O setor de serviços, que envolve inúmeras atividades, é formado por 1.332.260 empresas de serviços no Brasil, segundo a Pesquisa Anual de Serviços – PAS, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Pesquisa – IBGE.

Ele só tende a crescer e é responsável por movimentar mais de R$1 trilhão de reais todos os anos, sendo quase R$300 milhões somente em salários. Porém, ser empresário no Brasil, traz seus desafios.

Apesar de as empresas de serviços terem tido um crescimento de 0,5% de dezembro de 2016 a dezembro de 2017, o primeiro resultado positivo em 32 meses, antes de empreender nessa área é necessário atenção a algumas questões que podem tornar o sonho muito mais promissor.

Desafios das empresas de serviços

Muitos empresários do setor de serviços, sejam eles ligados a quaisquer segmentos, abrem seus negócios, mas não levam em consideração quais dificuldades podem aparecer ao longo do caminhos e, portanto, não se preparam e podem colocar o empreendimento a perder.

Veja agora os mais comuns deles para que você possa se antecipar e, com isso, ter melhores resultados:

Falta de conhecimento na área

Segundo outra pesquisa do IBGE, em 2015, aproximadamente 713,6 mil empresas fecharam no Brasil. O número superou as aberturas, que no mesmo ano foram de 708,6 mil. E, mesmo em meio à instabilidade econômica do Brasil, isso se deve em grande parte pela falta de planejamento e conhecimento dos empresários.

Infelizmente, uma grande parte deles, por mais que se identifiquem com a área de atuação, não possuem conhecimento aprofundado sobre os serviços oferecidos e, com isso, ganham a desconfiança do mercado e desmerecem sua própria empresa de serviços por não conseguirem demonstrar a importância daquilo que é ofertado.

Para que isso não aconteça, é essencial realizar uma imersão no mercado e conhecer a fundo as soluções que serão ofertadas aos clientes, ganhando assim autoridade e credibilidade.

Dificuldade em solucionar problemas e necessidades

Muitas vezes, o cliente do setor de serviços não tem um problema ou necessidade urgente ou nem mesmo sabem que eles existem, por isso um dos desafios das empresas de serviços é justamente esse, apresentar as soluções oferecidas como as mais apropriadas ao potencial cliente.

Seja pela falta de prospecção, de investimento em Marketing ou de conhecimento, como citamos acima, muitas empresas de serviços deixam de faturar mais pelo simples fato de terem dificuldade em fazer com que o cliente perceba que determinado serviço prestado pode ser benéfico a ele.

Falta de cuidado com a imagem da empresa de serviços

Como nesse setor as soluções, em sua maioria, não são “palpáveis”, passar uma imagem de profissionalismo e seriedade, além de demonstrar os propósitos da empresa, é fundamental para o sucesso da empresa de serviços.

Porém, isso é o contrário do que acontece em boa parte delas, seja em relação a uma identidade visual ou o comportamento do empreendedor e dos colaboradores junto ao mercado.

Se você pretende entrar e se destacar no setor de serviços, deve levar em consideração esses aspectos para ganhar visibilidade e empatia junto ao público.

Empresas de serviços que mais crescem no Brasil

Para quem pretende empreender, além de encontrar áreas em que haja afinidade, é preciso saber se elas podem ser promissoras. Para isso, você deve investigar o mercado, fazer uma análise da concorrência e verificar como anda o faturamento do segmento em que está planejando investir.

Depois de ter uma decisão sobre o nicho escolhido, é essencial conhecer a fundo o público-alvo, suas características e necessidades, traçar plano de negócios completo, elaborar um planejamento e ter uma visão estratégica sobre todos os processos.

Para inspirar você nos caminhos a seguir, listamos algumas tendências de empresas de serviços para 2018, de acordo com um levantamento do Sebrae/PR:

  • serviços de conveniência, já que na correria do dia a dia muitas pessoas procuram por soluções rápidas;
  • economia sustentável, que se baseia na economia de recursos naturais e visa proporcionar um consumo ético e consciente;
  • educação, seja por meio de cursos profissionalizantes ou livres, educação superior ou aulas de inglês à distância, por exemplo. Tudo o que visa educar e desenvolver habilidades está em alta;
  • alimentação, principalmente os locais que oferecem alimentação saudável ou direcionado a quem sofre com restrições alimentares;
  • clínicas populares das áreas médicas ou odontológicas, já que em meio à crise muitos deixaram de pagar planos de saúde e por isso procuram serviços mais baratos;
  • mercados de nicho, como os voltados às crianças, idosos ou público LGBT.

Independentemente do segmento em que você pretende atuar, como dissemos, é importante conhecer o mercado e os desafios que serão enfrentados para que o empreendimento possa crescer sólido e, com isso, traga ótimos resultados.

Fonte:  http://empresasecooperativas.com.br

Deixe uma resposta